segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Escuridão







Quando eu te perdi
Percebi que ia depender de mim
Independência indesejada
Mantive as cortinas fechadas por muito tempo.



Quando o tempo mudou e pude sair
O mundo mudou e mudo vi
a poesia precisando de sentido p´ra existir

Não é qualquer canção que posso ouvir

A combinação, a confusão, a fusão de pensamento a cada momento me fez morrer
E morrendo encontrei como viver, sem você...sem você...

Tão tenso e intenso que meu corpo dói
Cada instante tem obrigação de equilíbrio
Ou caio em gritos na escuridão
O fio da meada, o fio da alta tensão, as partículas de água no rosto, no céu, da multidão.
Tudo tem razão,ou não,
na escuridão.





João 18/02/2014

2 comentários:

Anônimo disse...

ficou bem legal,

João Rodrigues disse...

Muito obrigado!